Arquivo de fevereiro, 2013

CONHECENDO A GRAÇA DO PAI

Publicado: 27/02/2013 por Rubem Cruz em Vida Devocional
Tags:

Bom dia galera!
Deixarei vocês com minha esposa linda, leia esse texto que na verdade é uma pregaçao e seja grandemente abençoado.
Lucas: 15. 11. Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. 12. O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. 13. Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14. E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. 15. Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. 16. E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. 17. Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18. Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; 19. já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. 20. Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21. Disse-lhe o filho: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. 22. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; 23. trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, 24. porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se. 25. Ora, o seu filho mais velho estava no campo; e quando voltava, ao aproximar-se de casa, ouviu a música e as danças; 26. e chegando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27. Respondeu-lhe este: Chegou teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. 28. Mas ele se indignou e não queria entrar. Saiu então o pai e instava com ele. 29. Ele, porém, respondeu ao pai: Eis que há tantos anos te sirvo, e nunca transgredi um mandamento teu; contudo nunca me deste um cabrito para eu me regozijar com os meus amigos; 30. vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. 31. Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu; 32. era justo, porém, regozijarmo-nos e alegramo-nos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado.
Nessa parábola do filho pródigo Jesus nos ensina vários princípios, na maioria das vezes que lemos essa parte da palavra de Deus damos atenção ao filho mais novo, observamos o que a bíblia diz sobre ele, sobre sua saída de casa e sua volta, mas quero ressaltar com você o comportamento do filho mais velho. Jesus nunca contava uma história sem um objetivo, e com essa parábola não é diferente, o filho mais velho é o retrato claro de alguém que não conhece o caráter gracioso do Pai, e por isso não desfrutava da graça, o que acabou gerando nele alguns comportamentos e atitudes que nunca deveriam fazer parte dos filhos de Deus. A primeira coisa que podemos observar é que em momento algum esse filho sai de casa de seu pai.

1- Mesmo estando na casa do Pai, o filho não tinha intimida com Ele. – (v.28) Em momento algum o filho mais velho se refere ao pai como pai. Mesmo em casa ele se perde naquilo que ele realmente nasceu para fazer, se relacionar intimamente com o pai. Como é fácil isso acontecer conosco, estar na casa do Pai não nos garante intimidade com ele, e não garante que vamos conhecê-lo e conhecer seu caráter. O que aconteceu com o filho mais velho é um tipo de comportamento que muitas vezes persegue os filhos de Deus, apenas estar na casa do Pai não garante nada a nós, o filho mais velho cometeu um erro que custou muito caro a ele – Ele confundiu sua função com sua identidade (v.29), sua função é de servo, sua identidade é de filho. O texto mostra que ele fazia as coisas como obrigação e não porque o seu coração estava naquilo, ele acredita que é por fazer as coisas que vai merecer algo do pai. Quando isso acontece nos tornamos amargos e perdemos a oportunidade de conhecer e experimentar a graça de Deus, apresentamos os mesmos sintomas desse filho, que nunca saiu de casa, esteve perto do pai em todo tempo, mas nunca o conheceu de verdade.
2- Outra característica apresentada por ele e a intolerância: Se observarmos seu comportamento, quando ele escuta a musica em casa ele nem quer entrar, pede para que um empregado diga o que está acontecendo, e quando descobre fica indignado – quem não experimenta a graça do pai prefere ficar sozinho do lado de fora ao entrar na festa com sua família. O filho mais velho cometia erros porque era humano, mas sua postura ao se indignar com a atitude do pai mostra que ele se achava melhor que o irmão. Quem não conhece a graça de Deus olha o erro dos outros e não olha o seu, é alguém que coloca pesos e medidas diferentes quando o assunto é pecado, é alguém que acha que prostituição é pecado, mas mentir pedindo alguém para dizer que não está em casa porque não quer atender ao telefone não é. A intolerância nada mais é do que a falta de graça. Precisamos entender que nós somos os representantes do Reino de Deus na terra, e nós é que vamos receber as pessoas que estão lutando contra pecados como prostituição, homossexualidade, adultério, se hoje os tempos estão difíceis, pode ser preparar irmão porque vai ficar pior e se nós não formos cheios da graça de Deus vamos fracassar.
3 – Outra característica apresentada pelo filho mais velho e que é típico de alguém que não experimenta a graça de Deus em sua vida é não se sentir parte da família, (ele não chama o pai de pai e nem o irmão de irmão em nenhum momento) Ele mostra que se sente sozinho mesmo na casa do pai. O filho mais velho sempre luta para merecer o seu lugar e não entende que não há nada que ele faça, porque o que o faz fazer parte da família é a graça de Deus, é a identidade que lhe foi dada por Deus, que nunca poderá ser mudada.
Layla Cruz

Olá amigos,

Depois que postei semana passada, recebi muitas palavras de incentivo dos amigos e até de pessoas que eu não esperava. Fiquei muito feliz! Percebi o quanto é bom falar daquilo que vivemos, com certeza as pessoas se identificam mais com isso. Minha proposta aqui é essa! Não sei fazer sermão mesmo, então continuarei falando do que tenho visto e aprendido, se você não leu o post de semana passada, não perca tempo e clique a sua direita em “Equilibrando”. O post de hoje é uma continuação…

“Tu, porém, sê equilibrado em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” (2 Timóteo 4. 5)

Andei pensando muito nisso esses últimos dias, nessa coisa de viver o equilíbrio da vida, ter uma mente sadia, ser feliz, etc. Quando li esse texto de Paulo, comecei a pensar na vida de Paulo. Um cara que antes era fanático, queria matar os cristãos, mas depois que encontrou Jesus ele chega para o seu discípulo e fala “seja equilibrado em tudo”. Paulo tinha tudo para ser um doido, totalmente desequilibrado. Quando escreveu isso ele já estava no fim da vida; essa foi outra coisa que percebi. Às vezes precisamos chegar ao fim da vida para entendermos que para se viver não precisa de muita regra, nem muita cerimônia. Você pode ser feliz com o pouco, como pode ser feliz com o muito também. Essa é a vida… Cheia de contrastes!

É triste ver um povo que tem tudo na mão para ser feliz plenamente vivendo à margem da hipocrisia. De certo, um dos povos mais medíocres que existe é o povo que de chama “de Deus”. Desculpe-me a dureza, mas fico revoltado (comigo mesmo, na maioria das vezes) em ver como a gente perde tanto tempo com tanta coisa tola. Você vai a uma igreja hoje, independente da denominação, e na maioria das vezes você fica uma hora lá fazendo de tudo, menos o mais importante, que é prestar culto a Deus, adorá-lo, entregar a Ele sua vida, sua devoção. Não digo isso como quem quer julgar, mas sim como quem quer melhorar e te alertar quanto a isso. Não perca mais tempo! Invista em pessoas – a começar em você. Leia. Pratique um esporte. Ria com seus amigos. Viaje com sua família. Ore também, isso é muito bom. Sente no sofá da sua casa para ler a bíblia, sem compromissos. Leia por prazer, não por obrigação.

Estou decidido que esse ano não perderei mais tempo. Essa foi uma das metas que tracei pra 2013. Pode ser que falando essas coisas eu pareça leviano. Talvez você pense que estou te aconselhando a sair por aí fazendo tudo que te der na telha. Aí que você se engana! Foi duro, mas eu aprendi que a maioria das coisas que consideramos “legais” essas são as mais banais. Quer um exemplo? Você já bebeu cerveja? Esse troço é muito ruim! Sério, não te aconselho a beber. Primeiro, porque se você beber demais pode ficar embriagado – e isso é pecado. E segundo, porque o gosto é horrível, te deixa com um sabor amargo na boca e ainda por cima é cara (as que são consideradas melhor pelo menos). Acho tão lamentável aquele que bebe por achar que isso lhe torna alguém melhor ou mais ‘legal’, quanto àquele que não bebe achando que é pecado ou a pior coisa do mundo beber, como se o pecado fosse a bebida em si.

“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem. “ (Mateus 15. 11)
tentação4

Enfim, quero encerrar te dizendo que tenho pensado nisso ultimamente de forma bem aberta e tranquila. Eu sou o primeiro a me questionar, pode ter certeza. Se você discordar de alguma coisa, fique a vontade para comentar e apresentar o seu ponto de vista. Não sou o dono da verdade, nem a pessoa mais sábia que existe, posso está errado também. Fala do que eu vivo, do que funciona comigo, talvez com você seja um pouco diferente porque cada um tem sua realidade. O importante mesmo é que estamos no mesmo barco, independente do que pensamos ou deixamos de pensar, o que Deus nos ordenou é amar. Esse sim é o maior desafio, essa sim é a maior loucura de todas.

Que Deus nos abençoe! Seja feliz!

Breno Azevedo

UM DEUS QUE SABE COMO É

Publicado: 22/02/2013 por Rubem Cruz em Amor
Tags:

Com o pouco tempo que venho sendo líder, já ouvi muitas historias de jovens que enfrentam duras realidades, mas acho que não tenha algo que atormenta tanto um jovem e um adolescente do que um coração partido, claro que sei que isso não é uma exclusividade dos jovens e adolescentes, mas de todos nós não importando a idade, mas por cuidar dessa faixa etária posso falar com mais propriedade. Tenho lido um livro muito bom e Deus tem falado de uma forma muito especial comigo e decidi escrever sobre algo que me deixou encantado e queria compartilhar com vocês.

coracao_partido

Quando decidimos amar alguém, decidimos nos ariscar, ficamos vulneráveis, abrimos mão saímos da “casca”, quando amamos entregamos ao outro o poder de poder fazer o que ele quiser com o nosso coração, ele pode aceita-lo, rejeitá-lo, dar um passo em nossa direção ou fugir. Quando você ama você renuncia o controle e ai é que entra a história mais extraordinária de todas. Imagine um Deus, Criador dos céus e da Terra, Todo Poderoso que quando se mostrava assim afugentava as pessoas, é o que vemos quando Deus entrega os 10 mandamentos a Moisés (leia em Êxodo 20.1-21), quando Ele falava as pessoas não conseguiam suportar , sua Glória era tão grande que quando Moisés volta da sua presença, ele tinha que colocar um véu, pois as pessoas não conseguiam olhar diretamente para ele. Como mostrar a essas pessoas Seu Amor?  Como se aproximar delas sem afugentá-las?

Gloria de Deus

Ele precisaria se despir, se humilhar, renunciar a toda sua Glória, se fazer humano, essa é a história de Jesus.

Nasceu numa família humilde, numa manjedoura, rejeitado pelos seus próprios parentes, Ele encosta em pessoas com doenças infecciosas, deixa mulheres suspeitas tocarem Nele, põe a mão em cadáveres, e conversa com mulheres promíscuas, em sua vida inteira Jesus sempre escolhe o caminho do amor, não do poder.

Da inclusão, não da exclusão.

Do toque em vez da distância.

Da compaixão no lugar do controle.

Ele vem montado num jumentinho, não num cavalo.

Chorando e quebrantado, não orgulhoso e triunfante.

Mas quero chegar com você naquilo que comecei a falar no inicio do texto, Deus é o que melhor do que ninguém sabe o que é coração partido, na cruz Jesus faz o primeiro movimento e aguarda a nossa reação.

Se você já entregou o coração a alguém e teve o coração partido, sabe como Deus se sente.

Se já se entregou a alguém e descobriu-se esperando que o outro reagisse enquanto você se sentia vulnerável, sabe como Deus se sente.

Se já entregou a alguém, e esse alguém reagiu como você esperava, você sabe com Deus se sente.

A cruz é o modo de Deus dizer: “Eu sei como é”.

Cruz de Cristo

Engraçado porque muitas vezes no meio da dor e do sofrimento hostilizamos Deus, ficamos com raiva, nos afastamos e acusamos Deus de culpado e dizemos: “Deus tu não sabes como é!”.

A cruz é o modo de Deus anular nossas acusações, desculpas e argumentos.

Isso pode trasformar nossa experiência com o sofrimento. Em vez de algo que nos afasta de Deus, levando-nos até Ele.

O Deus que Jesus nos mostra não fica parado, de longe, acenando com a mão e dizendo: “Se você tivesse me ouvido”.

Ele é o Deus que estende as mãos e pergunta: Quer ver os buracos onde os pregos foram pregados? Isso ajudaria? O que posso fazer para te ajudar?

Então descobrimos que não estamos sós e encontramos força para seguir adiante, não uma força que vem de nós, mas do próprio Deus.

A cruz é o lugar em que apresentamos nossas feridas a Deus e dizemos; “Toma, fica com elas”.

cruz

Nossa cura começa quando participamos do sofrimento de Deus, não deixe que sua dor te pare, siga em frente se arrisque, corra riscos, ame, pois você nunca conseguirá amar se não se arriscar. Se Deus pode continuar correndo riscos, então talvez nós também possamos.

Uma vez ouvi uma frase de Fabio de Melo que dizia: “Diga me quem você mais perdoou e eu te direi quem você mais ama”.

Amar é correr risco, mas na certeza que não estamos sozinhos, porque temos um Deus que segue sempre em frente. Que continua se oferecendo. Que continua amando. Que continua correndo riscos.

Um Deus que sabe como é.

Rubem Cruz

Olá galerinha abençoada, como vocês estão nesse clima de “volta a rotina”? hehehe…
Hoje eu venho compartilhar com vocês um tema bem interessante, desejos.
Apesar de muitos pensarem que desejo é a mesma coisa que intenção, digo que são coisas diferentes. Por exemplo: Eu posso ter intenções muito boas, mas elas podem não ser meus desejos verdadeiros.

Image

Existe varias pessoas que falam que querem se afastar das influencias do mundo e se aproximar de Deus, mas elas não conseguem. Na verdade elas não estão em contato com seus desejos verdadeiros. Veja em (Tiago 1:14).
“Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido.”

Image

 

Desejo é um caminho que uma pessoa seguirá, não importando quão boa sua intenção venha a ser. Veja o que Tiago continua dizendo em (Tiago 1:16).
“Meus amados irmãos, não se deixem enganar.”
(Querido(a), claro que existe o lado positivo do desejo, mas aqui nós estamos falando do lado negativo).

Image  

 

Irmãos, o inimigo (diabo) não pode fazer um cristão fazer nada! O que ele faz é seduzir, mas você nunca é seduzido por algo que você não deseje.

Se oferecessem bebida alcoólica para um cristão, a maioria não hesitaria em recusar, pois nós não temos desejo por isso, por isso não somos seduzidos. Contudo, ainda existe cristãos que não exterminaram os desejos que os sistemas do mundo os impregnaram, quando eles ainda não eram salvos. Por essa razão são facilmente seduzidos por estas coisas.
Image

 

Aí você deve esta pensando:

“Pow Jonhny, nesse verão eu acho que fui seduzido por alguns desses desejos do mundo, e agora???

Querido(a) o que precisamos fazer é trazer nossos desejos em submissão à Cruz! 
Veja em (Gálatas 5:24).
“Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos.”

Image

 

Trazer nossos desejos em submissão a Cruz, não é algo que Deus faz por nós. É algo que nós precisamos fazer! Nós não podemos fazer sem a Graça de Deus, mas mesmo assim somos nós que devemos fazer.

Amados(as), nós não podemos ser seduzidos por qualquer desejo errado que ainda não foi colocado sob a Cruz. Se nós não deixamos de lado nossos desejos pelas coisas do mundo, então podemos facilmente voltar para os caminhos do mundo! 
Veja o que Paulo confessa em ( Gálatas 6:14).
“Quanto a mim, que eu jamais me glorie, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio da qual o mundo foi crucificado para mim, e eu para o mundo.”

Image

 

 

Vamos declarar que:
” O MUNDO ESTÁ CRUCIFICADO PARA MIM, E EU, PARA O MUNDO!”


Que Deus nos abençoe!
=D

JONHNY CARVALHO

O ESPETÁCULO DA VIDA

Publicado: 20/02/2013 por Rubem Cruz em Amor

A vida parece um labirinto sem saída
Um pesadelo sem a possibilidade de acordar
Passos em vão ao encontrar o chão da solidão
É a areia movediça da indiferença.

É, pra que culpar a vida?
É culpa dos muros altos, culpa da cerca elétrica
Ao querer tocar a vida, o alarme dispara…
O portão não abre, novamente o coração diz não.

Será que já estou na UTI? Não sei…
Ufa! Ainda consigo suspirar
E o grito da alma todos ouvem
Salve-me, antes que faleça.

De repente algo reluz,
Os holofotes, os microfones
Tantas coisas, tantas pessoas
É hora de começar o espetáculo.

É Deus que vem anunciar o antídoto
Eis que ELE vem trazendo cura e poesia…
Poesia do amor, tão logo salta o meu coração
Sim…diga ao povo que há salvação.

Vejo que já amanheceu
Sim, agora há Luz no caminho
Que alegria ao acordar
Já posso voltar a sonhar.

Não sigo mais os passos da dor
Minha alma quase a flutuar
Passadas largas e firmes eu vou…
Que ardor, agora sigo as pegadas do AMOR.

Theo Vieira

Equilibrando

Publicado: 19/02/2013 por Rubem Cruz em Vida Devocional
Tags:

Olá amigos,

É muito bom está aqui com vocês! Primeiramente, gostaria de agradecer ao Rubinho pela oportunidade que me foi dada de está escrevendo aqui pra vocês. Não sou um expert em escrever textos lindos e com palavras difíceis. O que eu gosto de fazer é compartilhar o que tenho aprendido no meu dia a dia com as pessoas, com a vida e com Deus, principalmente. Espero que vocês gostem…

Nos últimos meses, depois de muitas coisas que eu vivi – boas e ruins – e vi os outros vivendo, uma palavra permeou a minha mente me fazendo pensar muito na minha forma de viver, de olhar a vida e o Evangelho de Jesus. Conversei isso com vários amigos, o que eu dizia sempre era o seguinte: “Já vi tantas pessoas andando a 200km/h e acabavam metendo a cara na parede. Por isso hoje tento viver o equilíbrio.” Essa é a palavra: Equilíbrio.
Teve um tempo em que eu vivi pensando em ser radical, minha empolgação do momento era essa. Mas o que é ser radical afinal? Fui buscar ver no dicionário, olha o que significa.

Radical
adj.
Relativo à raiz.
Essencial, fundamental: defeitos radicais.
Partidário do radicalismo

correria

Radical tem a ver com raiz, que tem a ver com base. A visão que nós temos hoje é que ser radical é ser extremista, ‘louco por Jesus’, mas não vejo isso como saudável. Então você me pergunta, que base bíblica você tem pra isso? Tenho várias, vou te mostrar uma:

““Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?” (Eclesiastes 7. 16)

Radicalismo não tem nada a ver com intensidade, não adianta você ir a mil por hora deixando pra trás as coisas mais importantes. Cheguei a uma conclusão muito triste sobre nós cristãos: não sabemos desenvolver a maturidade. Um exemplo? Me cansei de ver irmãos novos na fé se envolvendo em várias coisas na igreja e isso, até certo ponto, é muito bom, mas tudo tem um limite. Uma pessoa que se converte a dois meses não tem preparo ainda pra assumir uma liderança de célula, nem um ministério de louvor, intercessão, etc. Sinceramente, precisamos despertar para o que Deus tem tentado a tanto tempo dizer: “Ide portanto e fazei discípulos…” (Mateus 28. 19a). O discipulado é uma arma fundamental, se não a melhor, para se desenvolver uma fé saudável e madura. A começar em mim, que as pessoas vejam em nós a alegria de viver Jesus e não uma vida pesarosa, cheia de regras banais e vazia de amor.
Minha oração nesses últimos dias é que eu não me importe com a velocidade do barc, mas que em primeiro lugar, a direção dele esteja certa e o piloto seja Jesus, não eu.

Que Deus nos abençoe!

Breno Azevedo

O CLAMOR DE JAIRO!

Publicado: 18/02/2013 por Rubem Cruz em Família
Tags:

Fala minha galera bonita!

Que saudade de vocês, ficamos muito tempo de “férias” rs, é pessoal casei, viajei, tanta coisa para contar para vocês, mas tenho uma noticia muito boa, o blog está de volta e com força total, com novos escritores, vai ser muito especial e para voltarmos, vou deixar vocês com um texto da minha esposa linda, texto que foi usado na pregação dela na nossa igreja ontem.

E, passando Jesus outra vez num barco para o outro lado, ajuntou-se a ele uma grande multidão; e ele estava junto do mar.E eis que chegou um dos principais da sinagoga, por nome Jairo, e, vendo-o, prostrou-se aos seus pés,E rogava-lhe muito, dizendo: Minha filha está moribunda; rogo-te que venhas e lhe imponhas as mãos, para que sare, e viva.Estando ele ainda falando, chegaram alguns do principal da sinagoga, a quem disseram: A tua filha está morta; para que enfadas mais o Mestre?E Jesus, tendo ouvido estas palavras, disse ao principal da sinagoga: Não temas, crê somente.E não permitiu que alguém o seguisse, a não ser Pedro, Tiago, e João, irmão de Tiago.E, tendo chegado à casa do principal da sinagoga, viu o alvoroço, e os que choravam muito e pranteavam.E, entrando, disse-lhes: Por que vos alvoroçais e chorais? A menina não está morta, mas dorme.E riam-se dele; porém ele, tendo-os feito sair, tomou consigo o pai e a mãe da menina, e os que com ele estavam, e entrou onde a menina estava deitada.E, tomando a mão da menina, disse-lhe: Talita cumi; que, traduzido, é: Menina, a ti te digo, levanta-te.E logo a menina se levantou, e andava, pois já tinha doze anos; e assombraram-se com grande espanto.E mandou-lhes expressamente que ninguém o soubesse; e disse que lhe dessem de comer. (Marcos 5:21-23/35-43)

A rotina de Jesus era agitada, quando não estava pregando ou ensinando, sempre vinham pessoas até ele querendo cura, libertação ou uma nova vida.

Nesse contexto, após ter pregado Jesus pega um barco com seus discípulos e vai até a terra dos gesarenos ou gadarenos, lá encontra um homem endemoninhado e liberta-o, depois volta para Cafarnaum que ficava a margem do mar da Galiléia. Quando chega, a bíblia diz que a multidão rapidamente veio ao seu encontro e entre muitas pessoas veio também um homem chamado Jairo, ele era alguém importante naquela localidade, pois era um dos principais da sinagoga, ou seja, era ele o responsável pela manutenção e programação dos trabalhos no local onde os judeus prestavam culto.

A bíblia nos conta que ele se prostrou aos pés de Jesus (v.22) e insistentemente suplicou que fosse com ele até sua casa, pois sua filha estava morrendo, e Jesus vai com ele.

O primeiro princípio que aprendo com essa história é que:

1-    Não importa quem você seja, Jesus olha você como um ser individual e olha seu coração – Jairo mesmo sendo alguém de prestígio na sociedade ele se prostra aos pés de Jesus e lhe faz uma suplica, súplica significa: pedido com humildade. Há umas horas antes desse acontecimento Jesus havia atravessado o mar da Galiléia para estar com um mendigo e libertá-lo, e agora ele estava com um dos principais da sinagoga.  Jesus não olha nossa conta bancária, como nos vestimos, ele tem uma capacidade que nós não temos: De olhar para nós e enxergar no fundo da nossa alma e ver se estamos sendo sinceros com ele.

No caso de Jairo ele rasgou seu coração diante do mestre, pois seu maior sonho estava morrendo. Fico pensando ao ler esse texto que talvez Jairo tenha esperado até o fim para recorrer a Jesus, como se fosse à última solução, a última coisa que ele poderia fazer. Não espere a morte bater em sua porta para convidar Jesus para ir até sua casa, e não digo de morte física apenas, mas morte de sonhos, de esperança, projetos, morte da primeira instituição formada por Deus, a família. Não espere a morte assolar sua rotina para chamar Jesus para ir com você até sua casa, mas até se isso acontecer ele vai contemplar seu coração sincero e vai aceitar o seu convite.

imagesCAIIZO74

2-     Um líder pode mudar a história de sua casa e daqueles que estão a sua volta.

Um líder que sabe procurar ajuda no lugar certo pode mudar o rumo da vida daqueles que estão debaixo de seu cuidado. A bíblia diz que Jairo foi até Jesus, bem provavelmente sua filha nem soubesse que ele estava recorrendo ao mestre, mas por causa dessa atitude do responsável da casa houve uma mudança no curso da vida daquela menina, seu fim era morte, mas através da atitude de seu pai houve vida. Quantos pais nós temos aqui? Quantos responsáveis espirituais temos aqui? Todos nós somos responsáveis espirituais por alguém, pois conhecemos a Jesus. Lembre-se: Nós podemos mudar a sentença que está sobre a vida de alguém através do nosso clamor junto a Jesus. Quantos de nós estamos realmente dispostos a suplicar para mudar a sentença que está sobre a vida de alguns que conhecemos? Talvez a morte esteja rondando nossos sonhos, e não a nada pior do que viver sem sonhos, sem esperança. Tem passado um comercial de um programa que é exibido no domingo a noite, e umas das reportagens fala sobre depressão, segundo as pesquisas em 2030 a depressão será a doença mais incapacitante do mundo, e um dos sintomas é a incapacidade de sonhar, de ter esperança. A história de Jairo nos mostra que nós podemos mudar essa sentença através do nosso clamor a Jesus.

 

3 – Às vezes de quem esperamos uma palavra positiva receberemos palavras cheias de incredulidade. (v.35)

A bíblia nos fala que quando Jairo esta no caminho com Jesus alguns que parecem ser próximos a ele lhe dizem para desistir, pois sua filha havia morrido. Quantas vezes isso acontece conosco, em algumas situações juntamos o restante de nossas forças para ir até Jesus, mas na caminhada recebemos palavras cheias de incredulidade: Isso não tem jeito; porque você ainda ora por ele? Você acha mesmo que Deus vai suprir sua necessidade? Que exagero, deixa seu filho assistir esse programa, não tem nada a vê não, vai criá-lo numa bolha? Muitas vezes esses são os momentos que precisamos decidir quem vamos escutar, e com certeza isso vai determinar que final vamos ter.

Nessa hora Jesus sabia que Jairo precisava de uma palavra de animo, então, sem dar importância aos que esses homens falavam Jesus fala para Jairo: Não tenha medo, tenha fé.

ja

4 – No meio da dor escolha escutar apenas a voz de Jesus que diz: Não tenha  medo, tenha fé. (O tempo verbal no original quer dizer: Pare de temer, continue crendo)

A bíblia nos mostra que a vida chegou aquela casa porque Jairo parou de temer e continuou crendo. Meu convite a você nessa manhã é para parar de temer e continuar crendo, e se em algum momento você parou de suplicar a Jesus porque as palavras de incredulidade foram mais fortes, sempre há tempo de voltar e se humilhar aos pés do nosso Pai.

Layla Cruz