Equilibrando (continuação)

Publicado: 26/02/2013 por Rubem Cruz em Vida Devocional
Tags:

Olá amigos,

Depois que postei semana passada, recebi muitas palavras de incentivo dos amigos e até de pessoas que eu não esperava. Fiquei muito feliz! Percebi o quanto é bom falar daquilo que vivemos, com certeza as pessoas se identificam mais com isso. Minha proposta aqui é essa! Não sei fazer sermão mesmo, então continuarei falando do que tenho visto e aprendido, se você não leu o post de semana passada, não perca tempo e clique a sua direita em “Equilibrando”. O post de hoje é uma continuação…

“Tu, porém, sê equilibrado em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” (2 Timóteo 4. 5)

Andei pensando muito nisso esses últimos dias, nessa coisa de viver o equilíbrio da vida, ter uma mente sadia, ser feliz, etc. Quando li esse texto de Paulo, comecei a pensar na vida de Paulo. Um cara que antes era fanático, queria matar os cristãos, mas depois que encontrou Jesus ele chega para o seu discípulo e fala “seja equilibrado em tudo”. Paulo tinha tudo para ser um doido, totalmente desequilibrado. Quando escreveu isso ele já estava no fim da vida; essa foi outra coisa que percebi. Às vezes precisamos chegar ao fim da vida para entendermos que para se viver não precisa de muita regra, nem muita cerimônia. Você pode ser feliz com o pouco, como pode ser feliz com o muito também. Essa é a vida… Cheia de contrastes!

É triste ver um povo que tem tudo na mão para ser feliz plenamente vivendo à margem da hipocrisia. De certo, um dos povos mais medíocres que existe é o povo que de chama “de Deus”. Desculpe-me a dureza, mas fico revoltado (comigo mesmo, na maioria das vezes) em ver como a gente perde tanto tempo com tanta coisa tola. Você vai a uma igreja hoje, independente da denominação, e na maioria das vezes você fica uma hora lá fazendo de tudo, menos o mais importante, que é prestar culto a Deus, adorá-lo, entregar a Ele sua vida, sua devoção. Não digo isso como quem quer julgar, mas sim como quem quer melhorar e te alertar quanto a isso. Não perca mais tempo! Invista em pessoas – a começar em você. Leia. Pratique um esporte. Ria com seus amigos. Viaje com sua família. Ore também, isso é muito bom. Sente no sofá da sua casa para ler a bíblia, sem compromissos. Leia por prazer, não por obrigação.

Estou decidido que esse ano não perderei mais tempo. Essa foi uma das metas que tracei pra 2013. Pode ser que falando essas coisas eu pareça leviano. Talvez você pense que estou te aconselhando a sair por aí fazendo tudo que te der na telha. Aí que você se engana! Foi duro, mas eu aprendi que a maioria das coisas que consideramos “legais” essas são as mais banais. Quer um exemplo? Você já bebeu cerveja? Esse troço é muito ruim! Sério, não te aconselho a beber. Primeiro, porque se você beber demais pode ficar embriagado – e isso é pecado. E segundo, porque o gosto é horrível, te deixa com um sabor amargo na boca e ainda por cima é cara (as que são consideradas melhor pelo menos). Acho tão lamentável aquele que bebe por achar que isso lhe torna alguém melhor ou mais ‘legal’, quanto àquele que não bebe achando que é pecado ou a pior coisa do mundo beber, como se o pecado fosse a bebida em si.

“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem. “ (Mateus 15. 11)
tentação4

Enfim, quero encerrar te dizendo que tenho pensado nisso ultimamente de forma bem aberta e tranquila. Eu sou o primeiro a me questionar, pode ter certeza. Se você discordar de alguma coisa, fique a vontade para comentar e apresentar o seu ponto de vista. Não sou o dono da verdade, nem a pessoa mais sábia que existe, posso está errado também. Fala do que eu vivo, do que funciona comigo, talvez com você seja um pouco diferente porque cada um tem sua realidade. O importante mesmo é que estamos no mesmo barco, independente do que pensamos ou deixamos de pensar, o que Deus nos ordenou é amar. Esse sim é o maior desafio, essa sim é a maior loucura de todas.

Que Deus nos abençoe! Seja feliz!

Breno Azevedo

Anúncios
comentários
  1. Rubem Cruz disse:

    Como falei amigo, não concordo quando você usa a palavra medíocre, sei que algumas atitudes que nós cristãos tomamos são muitas vezes equivocadas ou idiotas muitas vezes, mas vc falar que somos o povo mais medíocre talvez n tenha sido a melhor palavra. Agora em relação a escolhas como vc citou a bebida como exemplo, vivemos em uma comunidade e algumas coisas que para nós é normal para outros pode não ser e ai Jesus diz que ai daqueles os quais vierem o escândalo, tem escolhas nossa como beber ou n beber que tem que ser analisada pensando no outro, isso é amor, sei que o fato de beber não é pecado, mas imagina um novo convertido da minha célula me vendo beber um copinho de cerveja num bar. O que ele vai achar? Como explico para ele que aquilo não me afeta? Como saber ql o ponto dese embriagar ou n? A palavra diz que devemos considerar os outros superiores a nós e colocar a necessidade do outro na frente da nossa, ai está o negar si a si mesmo, por amor ao outro, essa é a beleza do evangelho e não estou falando de regras e doutrinas e sim de amor ao próximo, não é pq algumas coisas dão certo na igreja do Ed René por exemplo vai dar certo em outras e não há um padrão de igreja perfeita ou melhor há sim e está na bíblia no livro de atos. vc sabe q te respeito e te admiro, tanto que eu msm te convidei rs, um abraço meu amigo. Rubem Cruz

    • Breno Azevedo disse:

      Concordo com você! Queria esclarecer duas coisas:

      1ª – Quando usei o termo medíocre eu não generalizei, eu disse “um dos povos”. Ate porque quem sou eu para falar isso do povo de Deus… Conheço gente séria, que luta para viver o Evangelho na íntegra, nunca poderia dizer umas coisa dessa deles. Pode ver que escrevi “de Deus” assim entre aspas, porque me refiro aos fariseus desse tempo. Pode substituir o medíocre por hipócrita também que dá no mesmo.

      2ª – Quanto a bebida, eu entendo essa questão da nossa cultura, comunidade, etc. Na verdade, eu só a usei como exemplo mesmo. Até aconselhei a não bebermos: “Sério, não te aconselho a beber.”. Precisamos ter consciência de que fazemos isso (ou não) por espontaneidade, o equilíbrio está exatamente nisso. O meu medo Rubinho é ver uma geração cheia de gente bitolada, que não pensa de forma aberta e franca. Quis falar sobre a bebida porque já virou uma coisa mística, parece que o pecado é o líquido em si. E isso não é verdade! Precisamos ensinar aos novos irmãos a crescerem sadios, enfrentado suas lutas, mas entendendo o porquê das escolhas que fazemos.

      Vejo que sua visão é pastoral, cuidadosa e isso é ótimo. Obrigado por me ensinar a olhar com compaixão para o povo! Por isso no último parágrafo deixei o leitor a vontade para comentar e discordar. Às vezes você tem uma visão diferente, uma ótica diferente que no final das contas, acabamos enriquecendo o texto com opiniões, ideias e visões importantes também. Queria te agradecer pela confiança, obrigado mesmo. Estamos juntos nessa caminhada ;D

      Abraço!

  2. Ana Carolina disse:

    Bom, concordo com vc. Já tentei fazer tudo como manda a cartilha, como diz no script e me decepcionei comigo mesma. A verdade é que tudo nos é lícito mas nem tudo nos convém e que todos precisamos de Deus e também de um equilíbrio quanto a isso. Tudo demais faz mal, até Deus (no sentido de vc ficar só fixado nisso. não quero dizer que não temos que ter fome e sede d’Ele, mas já vi muitas pessoas que só queriam Deus o tempo todo e acabaram deixando sua vida social, sua família de lado. E querendo ou não se acharam mais sábios, mais santos do que os outros). Tudo tem um limite. Creio que se Deus nos fez seres que se comunicam, que se relacionam é porque Ele queria que também tivéssemos uma relação boa e estável com as pessoas ao nosso redor. Deus tem que estar no centro, mas devemos lembrar que nunca chegamos a algum lugar sozinhos e que todo mundo precisa de alguém, de um amigo, de um pai, de um irmão. O segredo é deixar Deus no centro sem deixar que as pessoas ao nosso redor sofram por nossa ausência. Já vivi isso e posso garantir que hoje meu relacionamento com Deus é bem melhor e mais profundo do que quando eu queria só Ele e me esquecia dos outros. Acho que achei o ponto de equilíbrio dentro de mim e isso é essencial num ser humano.

    • Breno Azevedo disse:

      Coisa linda Ana!! É tão bom quando crescemos assim né?
      Que Deus nos dê força para chegarmos ao fim dessa caminhada certos de que vivemos tudo que Ele mesmo preparou pra nós.

      Vamos viver!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s